domingo, 5 de outubro de 2008

Panfletagem de currículo




Esse é um post relâmpago que veio de um insight que eu tive

Se você tem participado de entrevistas, tem visto que o pessoal está fazendo o seguinte comentário.

"Pois é. Estamos em busca de profissionais que queiram trabalhar e que estejam compromissados com a empresa, principalmente que amem e gostem do que fazem. Não podemos deixar aqui na empresa uma pessoa frustrada. Não queremos aqui na empresa que você entre e comece a disparar currículos para todo mundo, panfletando currículos."

Eu já escutei isso 3 vezes.

Mas acho que cabe uma observação. Primeiro: se eu estou procurando emprego, logo quer dizer que eu estou interessado na vaga. Se você me fornece a remuneração (que inclui não somente o dinheiro mas a infra estrutura para trabalhar, segurança, bom ambiente de trabalho, etc etc) então não vai ter por que sair, certo? ERRADO!

Se você está num bar onde a cerveja (ou o refri) é quente, o garçon te trata como um cachorro de rua (duplamente desqualificado pela atitude e pelo canino) e a comida é ruim, você vai continuar frequentando este bar? É LÓGICO QUE NÃO!
Mas e se for o único bar que você pode almoçar? Ora, então podemos fazer 3 coisas. 1) Mudar de bar de qualquer jeito e encontrar qualquer bitaca para tomar uma gelada (o que não é dificil nessa cidade de vikings beberrões), 2) Reclamar até mudar 3) continuar comendo com aquela cara de "Eu não acredito que ainda estou frequentando este lugar".

Não é diferente nas empresas. Se eu não tenho um ambiente agradável, minha máquina é uma porcaria, a empresa não me dá estrutura para trabalhar, não orienta e não se preocupa comigo, pra que eu vou continuar lá? Esse povo acha que dar emprego é estar fazendo um favor à humanidade! Isso é idiotice! Estamos prestando serviços! Nosso suor tem valor sim!

Se você não quer um funcionário panfletando currículo, então não é ele que tem que mudar de postura não enviando currículo, é a EMPRESA que tem que saber o que está acontecendo e valorizar o trabalho do funcionário para que ele não haja assim. Afinal, quando já não estamos satisfeitos, é igual cliente chegar no boteco e não ter coca-cola. Olha que diálogo mais cretino:
- Oh moço, por favor uma coca
- Tem não moço, só Péps
- Então me vê uma Fanta.
- Fanta num tem sinhô. Tem sukita, serve?
- Putz, tem um guaraná então?
- Antartica?
- É pode ser!
- Ta quente...
- Mas que coisa!!! Traz um suco, água, qualquer coisa
- Tem água!
- Pode ser!
- Pode ser da torneira?

Ta chando que isso é bizarro? Acredite, não é.
Se você está numa empresa assim, vai ficar coçando o drude ou vai tomar uma posição e disparar currículo para quem quiser aproveitar seu potencial? É CLARO QUE VAI TOMAR UMA POSIÇÃO.

Estou falando isso porque eu, logicamente e visivelmente chateado, o estou fazendo.

Who cares? Tchau!

Um comentário:

Kenji disse...

I care ;-)

http://quemdesdenhaquercomprar.blogspot.com