terça-feira, 14 de outubro de 2008

Explicação sobre a crise imobiliária: Bar do Biu



Entre subidas e descidas do dólar, bolsas subindo e caindo, a crise faz com que pessoas conversem nos bares, restaurantes, enfim, o assunto da crise imobiliária americana e seus derivados se torne a bola da vez. Mas o problema é que só uma pequena fatia das população entende realmente o que está acontecendo.

Para ajudar essas pessoas que não estão entendendo o que está acontecendo ao seu redor, o pessoal do Results ON publicou uma historinha utilizando o Bar do Biu como exemplo. Boteco pelo boteco, linguagem do boteco.

Segue

Tradução da crise do subprime

O seu Biu tem um bar, na Vila Carrapato, e decide que vai vender cachaça “na caderneta” aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados.

Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose da branquinha (a diferença é o sobrepreço que os pinguços pagam pelo crédito).

O gerente do banco do seu Biu, um ousado administrador com MBA, decide que as cadernetas das dívidas do bar constituem, afinal, um ativo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o pindura dos pinguços como garantia.

Uns seis executivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrônimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.

Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capítais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (as tais cadernetas do seu Biu).

Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.

Até que alguém descobre que os “bêubo” da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e o Bar do seu Biu vai à falência. E toda cadeia foi pro espaço.


Bye Biu...

Um comentário:

Lucas de disse...

haha..um dia, um carinha tentou me explicar a crise (para tirar um onda achando que eu era leigo no assunto) com este exemplo.

eu não tinha visto a historia antes. O cara, além de ter contado a historia toda, contou tudo errado..

putz